(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
 

Anthem: O melhor pior jogo da Bioware.

Pré Lançamento

O ano é 2014, durante a apresentação da EA na E3, a Bioware trouxe uma pequena amostra de pouco menos de um minuto de sua nova proposta, um mundo aberto no qual não haveriam limitações na interação e na exploração, o pequeno teaser não da nomes, mas fala que é um novo desafio, algo que a empresa responsável pelas trilogias de sucesso Mass Effect e Dragon Age nunca tinha feito.

 

Depois de longos 3 anos de silencio, na E3 de 2017 veio a revelação oficial, e o titulo recebeu um nome  perante ao publico, “ANTHEM”.

O vídeo em questão, coloca o jogador em primeira pessoal, enquanto ele navega por uma cidade extremamente movimentada, rica em detalhes e com gráficos bem acima da media, mesmo pra uma apresentação da E3, pra surpresa de muitos, foi revelado que aquilo já eram imagens capturadas do jogo, embora de uma versão ainda em produção.

Após alguns diálogos, o vídeo avança para o jogo em si, a proposta de Anthem é um mundo onde os Deuses abandonaram o trabalho de criação pela metade, e deixaram suas ferramentas pra trás. Causando toda sorte de problema aos seus habitantes, a humanidade, se viu forçada a viver em meio a cidades fortaleza e a única forma de se explorar o vasto mundo é trajando uma das Javelins ou Lanças, que nada mais são armaduras ao melhor estilo homem de ferro


O vídeo impressionou, pela fluidez dos cenários, a quantidade surreal de detalhes e o combate usando as lanças que te faziam se sentir como um verdadeiro Tony Stark, a Bioware estava mostrando Anthem pro mundo, e o fez de forma brilhante.

 

Damos ai um pequeno pulo no tempo pra E3 2018, dessa vez a Bioware nos trouxe durante a apresentação da Microsoft não só o game-play real do jogo durante uma das missões, como também trouxe a oportunidade dos presentes no evento testarem o jogo na integra, dessa vez pudemos ver o jogo ainda mais polido, com algumas alterações e mudanças de qualidade de vida na HUD. E pra surpresa de muitos, o game-play mostrado não era num PC High End e sim num Xbox One X.

O jogo já estava na sua etapa final e dali em diante a Bioware foi extremamente transparente com um comportamento muito legal, tivemos diversas entrevistas onde os desenvolvedores deixaram bem claro que o titulo não teria nenhum tipo de “lootbox ou similar, e embora o jogo tivesse sim microtransações, elas seriam apenas cosméticas e não afetariam a jogabilidade de forma alguma.

Isso em um jogo publicado pela EA parece ser bom demais pra ser verdade, mas após os desastres de publicidade que foram Star Wars Battlefront 2 e Battlefield V alguns, como eu, estávamos dispostos a acreditar que a companhia havia resolvido vir para a luz.

Por isso, fiz a minha pré venda, como tantos outros, não só por ter sempre admirado o trabalho da Bioware (eu devo ser um dos poucos que gostou de ME: Andromeda) mas por que me daria a possibilidade de testar o jogo antes, no Beta Fechado.

Os problemas começam ai, como todo jogo em que a EA esta envolvida, no começo, sempre tivemos problemas de servidor, é engraçado mas mesmo jogos que são consagrados na companhia como FIFA e Battlefield não escapam desse destino, por maior que sejam os gastos com marketing, Anthem ainda é um jogo que não é pra todos, então já era esperado por muitos os problemas de conexão encontrados durante o Beta Fechado e Beta Aberto.

Todavia, foi desanimador ver que pouco, se não nada foi feito para evitar problemas no lançamento do jogo em 22 de Fevereiro.

 


Lançamento

Após o lançamento ficou evidente para muitos que o jogo havia sido apressado, o que pode ser explicado pela baixa popularidade E.A., algo que já estava afetando o valor das ações da compania, o sentimento de que estávamos frente a um titulo inacabado, se torna evidente não só pelos inúmeros erros de conexão, seja na dificuldade em se conectar ou em se manter no jogo, como também em inúmeros bugs gráficos como personagens sem cabeça, ou simplesmente não renderizando.

O jogo também tinha crashes constantes, principalmente no PS4 e no Xbox e alguns jogadores reportaram nas redes sociais (Reddit e Twitter) que não conseguiam prosseguir na historia por que o jogo fechava sozinho sempre em um mesmo ponto de uma missão da campanha.

Ainda sim, devo ser justo em dizer que os times por trás da jogabilidade, cenário e historia fizeram seu papel de forma esplêndida, atingindo as expectativas deste que vos escreve. A jogabilidade do jogo é fluida, e a sensação de voar no jogo realmente é algo muito bem elaborado com diversos fatores como temperatura dos propulsores e clima afetando sua jornada. O combate é algo que também merece elogios, mesmo num jogo que é esperado alguma repetição, eu com minhas pouco mais de 150 horas ainda me divirto com o combate do jogo, seja no uso de armas, ou das habilidades de meu Storm nos diferentes modos de jogo.

O universo criado pela Bioware claramente nos mostra que houve atenção aos detalhes, o mundo de Anthem esta entre um dos mais belos que já vi enquanto gamer, chegando bem perto do mundo criado por James Cameron em 2009 para o filme Avatar, é um mundo vivo, cheio de vida e coisas esperando pra serem mortas pelos jogadores, mesmo assim há alguma repetição de cenários que provavelmente será suprida em atualizações futuras, você fica limitado a biomas de selva, florestas e pântanos com uma ocasional dungeon  ou caverna durante a historia, mas não há desertos, montanhas ou regiões cobertas por gelo.  Algo que traria ainda mais brilho ao mundo de Anthem seria a possibilidade de estações do ano, como vemos na serie Forza Horizon da Microsoft.

Se tratando de historia, a Bioware sempre foi referencia nisso, criando tramas elaboradas com diversas informações aguardando olhos mais atentos, o jogo conta com um sistema de codex onde você pode aprender mais sobre inúmeros aspectos do mundo de Anthem, mas a narrativa, somada a excelente dublagem dos atores por trás das personagens realmente fazem você se sentir parte da historia, esta que vou me limitar a dizer que teve algumas reviravoltas que eu não esperava, algo raro nos dias de hoje.


De mal a pior….

 

Infelizmente Anthem veio muito mal otimizado em todas as plataformas, os loads no Xbox One X, estão enormes, eu resolvi o problema instalando o jogo num SSD mas sou o primeiro a admitir que essa não é uma solução acessível, todavia, no Xbox convencional os loads são o esperado de um jogo da magnitude de Anthem, mas se você considerar que o jogo foi exibido rodando no One X na E3, fica a pulga atrás da orelha do por que ter sido tão mal otimizado.

No entanto, os problemas de Anthem, vão muito além de otimização e loads demorados, inúmeros jogadores, nas três plataformas perderam seu progresso no jogo, após uma desconexão, a mensagem de que não foi possível acessar os dados do piloto aparecia na tela, e todo o progresso havia sido perdido, obrigando estes jogadores a recomeçar do zero, mas o problema mais grave que a Bioware tem enfrentado é que o jogo tem “brickado”* inúmeros PS4 ao redor do mundo, e a companhia ainda não apresentou uma solução para os jogadores já afetados, alguns jogadores conseguiram reverter o problema, mas sem o auxilio da EA ou Bioware, o que piorou ainda mais a imagem da companhia.

Pra jogar um pouco mais de sal na ferida, nos primeiros dias o jogo foi tomado por exploits que jogadores utilizaram pra ter fácil acesso a recompensas, um deles incluía explorar uma função do jogo de lhe incluir na sessão que estava caso caísse, mas creio que esse problema seja responsabilidade da base de jogadores e não a Bioware/E3, porém ela não puniu os jogadores que praticaram o exploit, o que não foi bem visto pelo restante da base de jogadores.

Ainda sim, é possível ver o empenho dos desenvolvedores em resolver problemas no jogo, desde o lançamento foram diversos patches e atualizações maiores que 4gb cada, mas cada atualização trouxe um novo problema, na ultima sexta feira (8) a atualização mudou a tabela de recompensas do jogo, fazendo com que os jogadores foram recompensados de forma excessiva no jogo, conseguindo inúmeros equipamentos da qualidade lendária (mais alta) de forma simples, no entanto a companhia na tentativa de corrigir o problema lançou outra atualização (que também eliminou o brick no PS4) mas reduziu drasticamente as recompensas que os jogadores recebem, o que gerou revolta de alguns jogadores que foram as redes sociais sugerindo que a base de jogadores boicotasse o jogo até reverterem as recompensas ao estado pré patch.

A Bioware se manifestou em algumas de suas redes sociais e no Reddit informando que esta atenta ao feedback dos jogadores e esta trabalhando pra encontrar um ponto de equilíbrio para as recompensas, Chad Robertson, chefe dos serviços online da Bioware também usou seu  Twiter para afirmar que a “companhia também não esta satisfeita com o estado atual das recompensas”

Brick – Significa tijolo em inglês, é um termo utilizado pra indicar que o console ou equipamento foi inutilizado de tal forma que agora só serve como peso de papel ou escoro de porta.


Vale a pena comprar Anthem ?

Eu felizmente, não fui afetado por nenhum dos problemas listados acima, todavia, não posso deixar de considera-los. Muitos jogadores foram prejudicados, e talvez se eu tivesse, não teria uma opinião favorável do jogo hoje.

Anthem é um bom jogo, gráficos bonitos pra geração atual, ótima jogabilidade com historia cativante. Todavia, os problemas existem e enquanto a Bioware tem feito de tudo pra resolver, nem de longe tem sido num ritmo que tem agradado sua base existente de jogadores.

Hoje, eu vejo Anthem como um diamante bruto, com ótimo potencial para o futuro, mas sinceramente não consigo recomendar o titulo pra algum amigo ou leitor sem no mínimo ficar com algum peso na consciência.

Minha recomendação é aguardar pra ver o que a Bioware/EA irão fazer e mesmo assim, esperar alguma promoção de meio de ano onde o jogo ja deve ter caído pra um preço mais acessível.

 

Anthem

0.00
7.1

Gráficos

8.0/10

História

6.0/10

Jogabilidade

9.5/10

Trilha sonora

5.0/10

O Melhor

  • Graficos Excelentes
  • Historia Cativante
  • Jogabilidade Divertida

O Pior

  • Servidores Instaveis
  • Loads Demorados
  • Jogo passa sentimento de Inacabado
  • Ausencia de End Game

Editor

Mais publicações de Editor
Especialista em games, está envolvido no mundo dos games a mais de 30 anos. Viveu todas as fases da evolução dos video-games, jogos de fliperama e computadores.
Scroll to top